A saúde do homem é uma grande preocupação para a sociedade. Mas, na grande maioria, os próprios homens a negligenciam. Quais riscos eles correm por pensar assim?

Por Marcela Borges, querovidaesaude.com


Os números mostram que a saúde do homem não vai muito bem. Apesar das mulheres serem consideradas o sexo frágil, no quesito saúde os estudos comprovam que os homens são mais vulneráveis a algumas doenças em comparação às mulheres.

No Brasil, por exemplo, os homens vivem, em média, sete anos a menos do que as mulheres. Em comparação a elas, eles têm mais doenças do coração, câncer, diabetes, colesterol e pressão arterial elevada.

Além disso, existe uma maior mortalidade masculina pelo fato de os homens geralmente se envolverem em situações de violência, uso de álcool e outras drogas com maior frequência, além de se exporem mais a acidentes de trânsito e de trabalho.

Os homens têm dificuldades para cuidar da saúde

De forma geral, existe uma resistência masculina quanto ao autocuidado. Os homens se envolvem mais com comportamentos nocivos à saúde, como alimentação inadequada, vícios e sedentarismo.

Os homens costumam buscar por atendimento médico quando o problema de saúde já está grave, além de terem menor adesão aos tratamentos crônicos, aqueles com maior duração. Isso porque, muitas vezes, os esquemas terapêuticos exigem maior empenho, e também modificações dos hábitos de vida para cumprimento do tratamento, e muitos não se adequam a nova rotina.

Saúde masculina: um tabu para vencer

Mas aí vem a pergunta: por que a maior parte dos homens reluta em cuidar da própria saúde?

O primeiro ponto seria o fator cultural. Os estereótipos relacionados ao gênero, enraizados em nossa cultura, condicionam uma prática baseada nas crenças e valores do “ser homem”.

A doença sempre foi considerada como um sinal de fragilidade, por isso, a maioria dos homens não aceita a doença como uma condição biológica deles. Muitos também se sentem “invencíveis”, o que acaba contribuindo para que cuidem menos de si e se exponham mais a situações de risco.

Outro fator é o medo. Medo de descobrir que algo vai mal com sua saúde e, assim, levar por água abaixo sua crença do “homem de aço”.

Um outro ponto abordado pelos homens está ligado com a rotina de trabalho, já que os horários de funcionamento dos serviços de saúde coincidem com os horários das suas atividades. Isso pode até ser uma barreira importante, porém vale destacar que grande parte das mulheres também está inserida no mercado de trabalho e não deixa de procurar os serviços de saúde.

Para a boa saúde do homem é preciso mudar hábitos

A ocorrência de muitas doenças prevalentes entre os homens pode ser evitada apenas com medidas preventivas. Para manter a saúde do homem, algumas mudanças como evitar as bebidas alcoólicas, o cigarro, manter uma alimentação saudável, reduzir o consumo de sal e gordura, e aumentar o consumo de frutas e hortaliças já são um bom começo.

Do mesmo modo, praticar exercícios físicos com regularidade, manter o peso ideal, praticar relações sexuais seguras e realizar exames médicos de rotina de forma periódica, também são passos a seguir para manter a saúde.

Homens não devem ficar com vergonha de cuidar da própria saúde, precisam conversar sobre seus problemas e preocupações com a parceira, familiares e amigos. Pedir ajuda quando estiver sobrecarregado por alguma situação de estresse não é sinal de fragilidade, mas de amor próprio. Outro fator importante é procurar sempre os serviços de saúde, não apenas quando surgir alguma doença, mas também para preveni-las.

Em todas as fases da vida do homem ocorrem mudanças fisiológicas no corpo que requerem acompanhamento médico para manutenção da saúde e prevenção de doenças. Mas se a pessoa tem história na família de morte súbita ou infarto; câncer de próstata, tireoide, intestino ou estômago; acidente vascular cerebral em idade precoce ou aneurisma de aorta, torna-se mais propensa a apresentar alterações na saúde. Por isso, é importante fazer acompanhamento médico com mais periodicidade.

Para ser homem é preciso estar vivo. Com a saúde em dia, você poderá estar mais presente na vida de sua família e em todos os momentos. Por isso, se cuide!


MARCELA BORGES é enfermeira e mestre em Saúde Pública

Category
Tags
No Tag

Comments are closed